Turismo Projeto

Projeto receberá apoio técnico e financeiro para fomentar turismo responsável na Península de Maraú

Iniciativa da Bahia está entre as 19 propostas de destaque do Camp Oceano, programa nacional da Fundação Grupo Boticário em parceria com a Fundação Araucária

30/11/2021 15h00
Por: Bahia Jornal Fonte: Ascom
Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Um projeto para conectar pessoas e negócios com a conservação do oceano e das tartarugas marinhas na Península de Maraú está entre as 19 propostas selecionadas pelo Camp Oceano, programa nacional da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná. A iniciativa receberá apoio técnico e financeiro para ser executada a partir de 2022. No total, os projetos de destaque do Camp Oceano, realizados em 11 Estados das regiões Sul, Sudeste e Nordeste, receberão R$ 3,7 milhões.

 

“Estamos muito satisfeitos com o resultado desse processo. Contamos com a participação de muita gente criativa, bem preparada e comprometida com a sustentabilidade do oceano. Chegamos a propostas capazes de gerar impactos positivos e duradouros para a conservação de nossas áreas costeiras e marinhas, além de estimular o desenvolvimento social e econômico da região”, comemora a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes. O Camp Oceano estimulou a cocriação de propostas a partir de capacitações, mentorias e suporte técnico. Agora, as melhores recebem recursos para serem executadas.

 

Apresentada pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável da Península de Maraú, a proposta Conhecendo o oceano no rastro das tartarugas marinhas integra um conjunto de ações locais para conectar o trade turístico, moradores, turistas e poder público, a fim de diminuir a pressão sobre os recursos naturais advindas do desordenamento do turismo. Atua a partir da disseminação de cultura oceânica por meio de circuitos turísticos educativos e o desenvolvimento de um aplicativo que conecta pessoas e negócios com a conservação do oceano e das tartarugas.

 

 

As iniciativas apoiadas neste ano respondem a pelo menos um dos três desafios apresentados pelo Camp Oceano: fomentar o turismo responsável, conservando a biodiversidade; reduzir a poluição no oceano e incidentes ambientais; e mitigar os efeitos da crise climática nas cidades costeiras. O Camp recebeu 138 propostas de solução envolvendo cerca de 900 participantes, com uma maioria de mulheres (54%). “Temos observado um crescente protagonismo feminino em projetos de conservação e não foi diferente no Camp Oceano”, frisa Malu. O projeto de destaque da Bahia, por exemplo, é liderado pela oceanóloga Kayla Correa de Lima. 

 

As propostas selecionadas têm potencial para serem aplicadas em toda a costa brasileira. “Além de buscarmos ideias inovadoras, procuramos iniciativas replicáveis, com benefícios significativos para a conservação e que também apresentassem viabilidade econômica”, explica a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário.

 

Sobre o processo

Iniciado em abril deste ano, o Camp Oceano – edição da teia de soluções, promovida pela Fundação Grupo Boticário, em parceria com a Fundação Araucária – recebeu 138 inscrições. As 40 melhores soluções apresentadas avançaram para um evento on-line de três dias de imersão, capacitações e conexões para aprimorarem suas ideias. Na sequência, 25 soluções seguiram para uma etapa de mentoria e detalhamento para aprofundarem ainda mais suas propostas. 

 

A relação detalhada das 19 soluções contempladas pelo Camp Oceano está disponível para consulta nos sites www.fundacaogrupoboticario.org.br e https://camp.teiadesolucoes.com.br/.

 

Sobre a teia de soluções

 

O Camp Oceano é um dos formatos de seleção da teia de soluções da Fundação Grupo Boticário. Lançada em 2020 com dois processos seletivos, a teia estimulou, em suas primeiras edições, o desenvolvimento de propostas voltadas para o turismo responsável em áreas naturais e para a Grande Reserva Mata Atlântica – o maior remanescente do bioma no Brasil. Ao longo dos processos, 43 soluções foram acompanhadas e estruturadas com mentoria e apoio técnico. No final, seis foram selecionadas para receber apoio financeiro e serem impulsionadas. Em 2021, duas novas edições da teia trouxeram desafios relacionados à sustentabilidade do oceano e à proteção e desenvolvimento econômico do Cerrado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias